AS LÍNGUAS DA ESPECIALIDADE E AS TERMINOLOGIAS

Porquê a obrigatoriedade de recorrer a uma agência de tradução quando se trata de empreender um trabalho de tradução de um texto que contenha terminologia técnica e/ou científica? Porque é que apenas uma empresa de tradução está habilitada para levar a bom porto um trabalho que tem tanto de exigente como de rigoroso?

Porque, nas palavras do linguista dinamarquês Ludvig Wimmer, ao contrário da língua “geral”, que é “polissémica, ambígua, redundante e demonstra uma multiplicidade situacional e temática”, as línguas de especialidade distinguem-se por serem precisas, denominativamente unívocas e económicas. De facto, várias são as caraterísticas que enformam este tipo de línguas como, por exemplo, não admitirem termos polissémicos; tenderem esses termos a ser internacionais; terem a presidi-los, regra geral, um tom formal; ou ser a expressão escrita desses termos mais importante do que a sua expressão oral. São, no fundo, línguas que encerram em si um grupo de subcódigos muito focalizados e diretamente ligados a áreas temáticas específicas. E, por essa razão, tanto o público-alvo a que se dirigem, como as situações comunicativas em que se inscrevem pressupõem, ab initio, um campo de conhecimento especializado.

Seja em que área for que a sua empresa opere, tecnologia, finanças, media e telecomunicações, indústria farmacêutica/medicina, indústria automóvel ou indústria química, a Traductanet impôs-se no mercado como uma referência incontornável em tradução de línguas da especialidade e em terminologia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *