INTEGRAÇÃO NA UNIÃO EUROPEIA E O “BOOM” DA INTERPRETAÇÃO EM PORTUGAL

Assim como o Julgamento de Nuremberga foi o catalisador da profissão de intérprete a nível mundial, a adesão de Portugal à União Europeia, em 1986, veio impulsionar a procura de intérpretes de conferência portugueses, no país e no estrangeiro.

De acordo com a AIIC – Associação Internacional de Intérpretes de Conferência – muitos dos que se formaram em Portugal vieram a trabalhar como intérpretes independentes ou funcionários na UE (em Bruxelas, Estrasburgo e Luxemburgo), enquanto outros que chegaram à interpretação através das instituições comunitárias trouxeram as suas competências para Portugal.

A UE apresenta-se como um empregador flexível e moderno, que proporciona um ambiente dinâmico e estimulante aos seus colaboradores, dando-lhes a oportunidade de ter uma carreira estável, na qual podem progredir.

Com esses incentivos e com as necessidades decorrentes dos vários alargamentos que tem efetuado, não é de admirar que o serviço de interpretação da UE seja o maior do mundo. Os seus intérpretes têm como missão assegurar a correta comunicação entre todos os intervenientes nas situações em que a tal são chamados, recorrendo à interpretação simultânea ou consecutiva.

Os intérpretes de conferência que trabalham com a Traductanet pertencem a organizações nacionais e internacionais e são especialistas na tradução/interpretação simultânea e tradução/interpretação consecutiva em diversas áreas temáticas.

Post: Zeus raptou a bela ninfa Europa e levou-a da Abissínia até à fundação de Creta. Hoje, o espírito da Europa é entendido em todo o continente graças ao trabalho dos tradutores e intérpretes ao serviço da União Europeia.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *