“QUE TODA A LEI SEJA CLARA, UNIFORME E PRECISA; INTERPRETÁ-LA É, QUASE SEMPRE, CORROMPÊ-LA”

“QUE TODA A LEI SEJA CLARA, UNIFORME E PRECISA; INTERPRETÁ-LA É, QUASE SEMPRE, CORROMPÊ-LA” – Voltaire

 

A responsabilidade de um tradutor, na persecução da excelência, é sempre enorme. E isso vale para tudo: da transposição para um outro idioma de uma peça literária, de um balanço de contas empresarial ou de um site na internet, até à mais singela tradução do menu de entradas de um restaurante. Mas quando se trata de tradução jurídica, esse compromisso terá que ser exponencialmente maior, porquanto poderão ser muitas e muito gravosas as consequências que advém da não observância desse preceito.

Seja o seu carácter público (documentos oficiais de um organismo ou de uma instituição) ou privado (atos notariais, documentos relativos à propriedade intelectual, contratos, testamentos, etc.) estamos no campo da pura legalidade e da tecnicidade terminológica, muito longe, pois, da metáfora e da linguagem coloquial. Por essa razão, o máximo cuidado com o rigor e com a exatidão terá que ser a maior, senão única, preocupação de qualquer profissional da tradução.

A Traductanet, apoiada numa sólida equipa de tradutores especializados em Direito, assume-se, pela longa experiência na área e pela qualidade do seu trabalho, como o melhor depositário da sua confiança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *